Após vários dias de intensa cobrança do senador Rodrigo Cunha pela criação da delegacia de combate à corrupção em Alagoas, o governo do estado editou nesta terça-feira o decreto que institui a unidade.

Rodrigo Cunha veio a público alertar que Alagoas era um dos quatro estados que ainda não têm uma unidade própria para investigar crimes contra a administração pública. E que sem isso, o estado deixará de receber mais de R$ 1,6 milhão do governo federal.

Os recursos fazem parte do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), mas parte dele só é enviado às unidades da federação que, por meio de uma delegacia anticorrupção, se comprometem em ter pessoal treinado e investigadores especializados nessa modalidade de crime.

Ainda no ano passado, Rodrigo Cunha já encaminhou, juntamente com a deputada Tereza Nelma, R$ 600 mil, via emendas parlamentares, para a construção da delegacia. Mas o projeto não saiu do papel porque depende da ação do governo do estado.

Ontem mesmo Rodrigo e Tereza tiveram uma reunião com a promotora do Ministério Público de Alagoas Karla Padilha, para tratar sobre o assunto. O Ministério Público do estado abriu um procedimento administrativo para esclarecer os motivos da demora na criação da delegacia.

O decreto é um passo importante para que Alagoas ganhe essa estrutura. O senador Rodrigo pondera, no entanto, que é preciso continuar acompanhando para que a população conte de fato com a execução desse compromisso.

“Desde o ano passado venho cobrando a criação de uma delegacia anticorrupção no nosso estado. Alagoas não pode abrir mão nem dos recursos federais que virão para isso nem de ser combativa contra esse tipo de crime. Vamos seguir acompanhando”, afirmou.

Acompanhe o trabalho do Rodrigo Cunha




    Subscribe
    Notify of
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments